quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Sempre aos Domingos (15 Outubro)

O Dia das Crianças vai ser festejado neste Sempre aos Domingos (15) com a lindeza do clássico A Dama e o Vagabundo, de 1955. Depois do filme, a turma do Educativo promoverá jogos teatrais com a participação de uma trupe de palhaços. Filme dublado. Entrada gratuita. Às 10h30.

Programação 12 a 18 Outubro 2017

O longa Na Praia à Noite Sozinha, do sul-coreano Hong Sang-soo, é a estreia da semana. E o nosso Sempre aos Domingos é especial para o Dia das Crianças, com exibição do apaixonante clássico da Disney, A Dama e o Vagabundo. Dublado e gratuito. Após o filme, muitos jogos teatrais com participação de uma trupe de palhaços.
Confira a programação completa.


Mesa Cinema Acessível na XI Bienal do Livro

O auditório Fundaj/MEC da XI Bienal do Livro contará com mesa de apresentação do Projeto Alumiar - Sessão Acessível do Cinema da Fundação, nesta terça, 10 de outubro, às 18h. Haverá uma discussão sobre acessibilidade no cinema, com audiodescrição, libras e legenda para surdos e ensurdecidos, tecnologias de exibição e formação de público. 
A mesa, que terá tradução simultânea de libras e audiodescrição, será aberta pela Coordenadora do Alumiar e do Cinema da Fundação, Ana Farache, e contará com participação de Michelle Alheiros, Consultora de audiodescrição e Alessandro Vasconcelos, Consultor de libras. A mediação é de Liliana Tavares, supervisora de acessibilidade do projeto.  
O Projeto Alumiar foi lançado em setembro deste ano pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho, com a assinatura do Termo de Cooperação entre a TV Escola/MEC e a Fundação Joaquim Nabuco. A partir deste mês, o Cinema da Fundação será o primeiro do Brasil a ter na sua programação regular filmes com três modalidades de acessibilidade comunicacional: Audiodescrição (AD) para pessoas cegas ou com baixa visão; Língua Brasileira de Sinais (Libras) para pessoas surdas; e Legendas para surdos e ensurdecidos (LSE).

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Sempre aos Domingos (08 Outubro)

O primeiro longa do cinema falado está completando 90 anos neste mês e será exibido no nosso Sempre aos Domingos (08). O Cantor de Jazz, musical de Alan Crosland, recebeu em 29 o oscar honorário pelo seu pioneirismo. Às 10h30. Ingressos R$ 2.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Programação 05 a 11 Outubro 2017

Semana sensacional no Cinema da Fundação/Museu. Estreia do documentário Exodus - De Onde Eu Vim Não Existe Mais, de Hank Levine. O Festival de Circo do Brasil 2017 chega com o filme Minha Avó Era Um Palhaço, de Ana Minehira e Mariana Gabriel. No Sempre aos Domingos, o musical O Cantor de Jazz, clássico pioneiro do cinema falado.
Confira a programação completa.



Programação completa do Sempre aos Domingos (Outubro 2017)

Anote na agenda pra não perder os clássicos do Sempre aos Domingos do mês de outubro. Marque sua turma e venha curtir com a gente. Às 10h30.
.
(01/10)
A um passo da eternidade (EUA, 1953)
Ficção. De Fred Zinnemann. Com Burt Lancaster, Montgomery Clift, Deborah Kerr, Frank Sinatra. A história se passa às vésperas do ataque japonês à base americana do Havaí, em dezembro de 1941. O clima de tensão atinge oficiais e soldados, revelando segredos, amores proibidos e conflitos mortais. Um dos maiores clássicos do cinema americano dos anos 50, ganhador de 8 Oscars, entre eles, Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator-Coadjuvante.
118 min | 14 anos
.
(08/10)
O cantor de jazz (EUA, 1927)
Musical. De Alan Crosland. Com Warner Oland, Al Jolson, May McAvoy. Baseado numa peça de grande sucesso da Broadway, com o mesmo nome, O Cantor de Jazz conta a história de Jakie Rabinowitz, de uma família tradicional judaica. Todos os homens da casa cantavam em sinagogas, mas Jakie escolhe um futuro diferente. Considerado o primeiro filme de grande duração com falas, O Cantor de Jazz recebeu um Oscar Honorário pelo pioneirismo do cinema falado.
88 min | Livre
.
(15/10)
A dama e o vagabundo (EUA, 1955)
Animação. De Clyde Geronimi, Wilfred Jackson, Hamilton Luske. Dama vive no luxo da casa de seus donos. Vagabundo vive na rua e tem que se virar para sobreviver. Até que um dia Dama foge de casa e começa a depender da ajuda de Vagabundo para voltar aos seus donos. Clássico da Disney, famoso pela trilha sonora com canções de Peggy Lee. Exibição em CinemaScope.
76 min | Livre
(Dublado e Gratuito).
.
(22/10)
Clamor do sexo (EUA, 1961)
Ficção. De Elia Kazan. Com Natalie Wood, Warren Beatty, Pat Hingle. Bud sofre pressão do pai para ir à universidade. Deanie é reprimida por um família puritana. No Kansas, no final dos anos 20, esse casal apaixonado sofre repressão sexual, o que torna o romance cada vez mais difícil. Recebeu o Oscar de Melhor Roteiro Original (1962).
124 min| 16 anos
.
(29/10)
Ascensor para o cadafalso (França, 1957)
Ficção. De Louis Malle. Com Jeanne Moreau, Maurice Ronet, Georges Poujouly. Florence é casada com um milionário, mas sonha em ficar com Julien. Unidos pela força da paixão e ganância, os amantes planejam uma emboscada para se livrarem do marido. Clássico do início da Nouvelle Vague, o filme deu status de estrela à Jeanne Moreau, que morreu em julho deste ano. A trilha sonora de Miles Davis é outro destaque do filme.
90 min | 14 anos
.
TARIFA
R$ 2 (preço único).



terça-feira, 3 de outubro de 2017

Cinema da Fundação promove concurso para a Lição de Cinema


Se você é estudante secundarista ou universitário, não perca a oportunidade de exercitar sua criatividade. Estão abertas, até o próximo dia 16 de outubro, as inscrições para o envio de uma marca que represente a Lição de Cinema. Na fase de seleção, o arquivo deve ser enviado nos formatos PNG, JPG ou PDF, e tamanho máximo de 1 MB. Como prêmio de incentivo, o estudante vencedor terá acesso gratuito, durante 6 meses, ao Cinema da Fundação. Mais informações na ficha de inscrição, no link https://goo.gl/forms/6rqjKr8zY0JjHGOu1.
A sessão lançada pelo Cinema da Fundação/Museu em maio deste ano exibe, uma vez por mês, um filme que é apresentado e debatido por professores e especialistas das mais diversas áreas do conhecimento que dialogam com a arte cinematográfica. Segundo Ana Farache, coordenadora do Cinema da Fundação, a sessão foi criada visando reunir estudantes, professores e cinéfilos para pensar, dialogar e refletir sobre produções cinematográficas no melhor ambiente do mundo para isso: a sala de cinema.